fbpx

Urgências

Em atendimentos de urgências e emergências, a agilidade no resultado de um exame faz toda diferença para o paciente que tem um quadro que se agrava rapidamente. Para casos de SEPSE, Encefalites, Meningites (viral e bacteriana), por exemplo, oferecemos soluções de alta precisão e resultados em poucas horas.

Sepse

Conhecida também por infecção generalizada, é a principal causa de mortes não coronariana em hospitais. Por isso, as primeiras horas são essenciais para um bom prognóstico e redução da mortalidade.

O custo do antibiótico de amplo espectro é responsável por quase metade dos custos hospitalares em UTI. A cada hora passada do paciente em Sepse, há um aumento no risco de morte de quase 2%, o que corrobora com mortalidade de mais de 80% das mortes desses pacientes de sepse em UTI.

Como forma de reduzir os riscos aos pacientes e otimizar a rotina de atendimentos hospitalares, contamos com o Painel Sepse. Além de identificar os patógenos causadores da infecção, a solução é um diferencial na detecção de resistências. Ou seja, direciona o tratamento, previne reação adversa por medicação empírica e orienta as medidas de precaução.

Encefalites

Inflamação do parênquima cerebral que pode deixar sequelas neurológicas graves e levar à morte. Ela pode ser causada por diversos agentes, sendo a infecção viral a sua causa mais frequente.

  • O vírus herpes tipo 1 é a principal causa de encefalite em crianças e o tipo 2 causa meningite em adultos;
  • A encefalite por Varicela-Zoster pode ocorrer, também, pela reativação viral;
  • O vírus Epstein-Barr está relacionado a encefalite em adolescentes;
  • O citomegalovírus e o vírus herpes tipo 6 acometem, majoritariamente, menores de 2 anos e imunossuprimidos;
  • O Enterovírus é a segunda causa de encefalite viral e é responsável por surtos principalmente no verão.

Meningites

A doença é caracterizada pela inflamação das meninges, que são as camadas protetoras que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela é causada por diversos microrganismos, principalmente vírus e bactérias.

A meningite bacteriana pode ter uma evolução rápida e fatal se não for tratada adequadamente. Além disso, o tratamento incorreto expõe o paciente ao risco de reações adversas, por uma medicação ineficaz e contribui para o desenvolvimento de resistência bacteriana aos antimicrobianos. Isso pode agravar ainda mais o quadro clínico e eleva os custos hospitalares.

A meningite viral é a causa mais comum entre as meningites assépticas e, devido à severidade, pode evoluir causando danos cerebrais, deixando sequelas ou podendo levar a óbito. O tipo de tratamento depende do agente causador da doença. Por isso, é importante conhecer o patógeno envolvido, realizando exames para a confirmação da meningite.

SOLUÇÕES EM DIAGNÓSTICO MOLECULAR

O diagnóstico preciso do patógeno direciona o tratamento, previne reação adversa por medicação empírica, orienta as medidas de precaução, orienta as medidas de precaução para a prevenção de surtos e reduz custos hospitalares.

O iD8 Inovação em Diagnóstico oferece as seguintes soluções:

Painel Sepse

36 patógenos e 20 resistências

Painel de Encefalites

Painel de Meningite Viral

Painel de Meningite Bacteriana

Patógeno Identificados

O que pode causar?

Acinetobacter baumannii
Acinetobacter podem causar infecções supurativas em qualquer sistema de órgãos. Estas bactérias são oportunistas em pacientes hospitalizados. A A. baumannii (AB) é responsável por cerca de 80% das infecções em humanos.
Candida albicans e
Candida spp.

Candida spp. é responsável por cerca de 80% das principais infecções fúngicas sistêmicas e são a causa mais comum de infecções fúngicas em pacientes imunocomprometidos. A resistência e transmissão da cândida em hospitais são uma importante questão de saúde pública.

Enterobacteriaceae

Cepas dessas bactérias podem causar infeções oportunistas em pacientes imunocomprometidos e em pacientes internados em hospitais, geralmente acometendo o trato respiratório e as vias urinárias.

Enterococcus spp.

Enterococcus causam uma variedade de infecções, incluindo endocardite, infecção do trato urinário, prostatite, infecção intra-abdominal, celulite e infecção em feridas, além de bacteremia concomitante.

Escherichia coli

Importante causa de infecção urinária principalmente em mulheres. Também pode causar gastroenterites, pielonefrite, apendicite e meningite. Quando não é devidamente tratada, pode levar à sepse.

Klebsiella pneumoniae

A Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC) é conhecida como superbactéria, pois é resistente à maior parte dos antibióticos. Pode produzir infecções graves, como pneumonia ou meningite.

Listeria monocytogenes

Esta bactéria causa listeriose, que pode levar a gastroenterite, meningite, cerebrite ou dermatite. Em gestantes, pode causar infecções intrauterinas que levam à aborto espontâneo, parto prematuro ou infecção grave no recém-nascido.

Neisseria meningitidis

Bactéria que causa a meningite meningocócica. Seu agravamento pode atingir a corrente sanguínea, provocando meningococemia. Pessoas não vacinadas de qualquer idade são vulneráveis, mas no Brasil esta doença é mais frequente em crianças até 5 anos.

Proteus spp.

Podem provocar bacteremia e infecções profundas, em particular nas orelhas e nos seios mastoides, na cavidade peritoneal e no trato urinário de pacientes com infecção do trato urinário crônica ou com cálculo renal ou de bexiga.

Pseudomonas aeruginosa

Pode causar infecções oportunistas especialmente em pacientes imunocomprometidos, como vítimas de queimaduras, pacientes com câncer ou fibrose cística.

Serratia marcescens

Causa variados tipos de infecções hospitalares envolvendo o aparelho respiratório, urinário e de pacientes com queimaduras. Por apresentar resistência a vários antibióticos, geralmente associa-se a quadro infecciosos graves.

Staphylococcus Aureus,
Staphylococcus
Coagulase-Negativa

Os estafilococos em geral causam infecções de pele, pneumonia, endocardite e osteomielite. Na maioria das vezes, provoca a formação de abscesso. Algumas cepas elaboram toxinas que provocam gastrenterite, síndrome da pele escaldada e síndrome do choque tóxico.

Stenotrophomonas maltophilia
Geralmente causa infecções respiratórias em pacientes com baixa imunidade e crianças. Pode ser adquirida em hospitais por meio de aparelhos de sucção, cateteres, máquinas de diálise e outros.
Streptococcus agalactiae,
Streptococcus pneumoniae,
Streptococcus pyogenes,
Streptococcus spp.

Esta espécie de bactérias está presente em diferentes órgãos, e podem causar diversas doenças faringite, escarlatina, infecções no trato urinário e riscos ao bebê caso a gestante esteja infectada no momento do parto. 

Com o laboratório ID8 é possível realizar a identificação de todos os patógenos citados acima com rapidez e precisão. Conheça nossas soluções:

Os genes de resistência a antibióticos identificados no mesmo exame:

  • mecA: gene de resistência a Meticilina
  • vanA: gene de resistência à VancomicinavanB: gene de resistência à Vancomicina
  • kpc: Carbapenemase de classe A sme: Carbapenemase de classe A
  • nmc/imi: Carbapenemase de classe A
  • blaSHV: ß-lactamase de espectro estendido SHV
  • blaCTX-M: ß-lactamase de espectro estendido CTX-M
  • ges: Carbapenemase de classe A
  • vim: Carbapenemase de classe B
  • gim: Carbapenemase de classe B
  • spm: Carbapenemase de classe B
  • ndm: Carbapenemase de classe B
  • sim: Carbapenemase de classe B
  • IMP3: Carbapenemase de classe B
  • oxa 23: Carbapenemase de classe D
  • oxa 24: Carbapenemase de classe D
  • oxa 48: Carbapenemase de classe D
  • oxa 51: Carbapenemase de classe D
  • ox a58: Carbapenemase de classe D

Amostra

  • swab retal
  • Hemoculturas positivas

Metodologia

  • Flow Chip
| NEWSLETTER

Fique por dentro e receba
as nossas novidades

Disponível de segunda à sexta, das 9h às 22h e sábado das 12h30 às 20h